Por Marco Aurélio Cidade
comentar
publicado por propagandaearte, em 23.01.13 às 15:54link do post | favorito

CONTINENTE E SOLINCA

 

"TRANSFORMAM"

 

CALORIAS EM DESCONTOS

 

Continente e Solinca “transformam” calorias em descontos

O Continente e a Solinca associaram-se no lançamento de uma campanha que promete “converter” calorias em descontos até 17 de fevereiro. A parceria das duas marcas do universo Sonae possibilita a adesão ao ginásio, que se traduz em descontos de 50 por cento em cartão Continente.

As marcas desafiam o consumidor a adotar hábitos de vida saudável com vantagens para o orçamento familiar.

A campanha garante o acesso aos Clubes Solinca com desconto de 50 por cento da mensalidade (49,90 euros), acumulando o desconto de 24,95 euros no saldo do cartão Continente em cada um dos seis meses previstos pelo contrato de fidelização (de fevereiro a julho).

Para 2013, a Solinca prevê o lançamento de novas campanhas comerciais que garantam a conquista de maior quota de mercado e renovas propostas na área do fitness.

 

 

FONTE: JORNAL briefing


comentar
publicado por propagandaearte, em 16.01.13 às 09:33link do post | favorito

QUE É ISSO, GENTE?

 

 

Normalmente utilizo este espaço para escrever sobre publicidade, marketing e assuntos ligados direta ou indiretamente à área, já que este é o segmento onde atuo, já que esta é a minha profissão há mais de trinta e cinco anos. Hoje no entanto, me permitirei abordar um assunto que, confesso, me incomoda muito: a mentalidade negativa. Acabo de ler uma pequena matéria de um profissional do setor gráfico que me deixou arrasado dado ao negativismo da mesma. Palavras fortes, impactantes e de uma negatividade enorme: morrer, drasticamente, sobreviver, débeis, fome, doença, bocas a alimentar, condenar e outras mais. Muitos hão de questionar o porque de eu ficar tão incomodado com tais palavras. Explico: não são bem as palavras, uma vez que damos a ela um sentido positivo ou negativo, de acordo com o que escrevemos ou pela maneira que falamos. Fato é que, dependendo da maneira como construímos nosso texto a carga emocional positiva ou negativa aumenta ou diminui. No caso deste executivo, o impacto negativo que o seu texto causou em mim (e creio que em muito mais leitores) foi grande dado à sua mente negativista. Gente, o que é que há? Não adianta ficar constantemente repetindo que isto está péssimo, onde iremos parar, vamos todos morrer à mingua, não aguentamos mais e outras frases ou palavras que só enterram mais quem as profere num poço lamacento, num caminho sem volta. Ser positivo é fator primordial para termos uma vida melhor, mais saudável, compatível com nossos pensamentos, por assim dizer. Já sabemos o que sai na mídia,. Já sabemos que o mundo está em crise. Já sabemos que temos que nos esforçar muito para que as nossas vidas sigam num bom rumo. Os esforços serão sempre necessários e reclamar, xingar, difamar, aterrorizar, desestimular, ter um pensamento negativista, de nada serve. Venho de um país onde o otimismo é lugar comum. Mesmo em épocas de crise, como tantas as que o Brasil já passou, sempre tentamos ter uma mente aberta, positiva, otimista. E sempre fazemos por onde modificar a situação para melhor, seja com palavras, com atitudes ou na porrada mesmo, como foi na época Collor. O que eu sei é que de nada adianta ficar se lamuriando e alimentar uma postura depressiva o tempo todo. “- Bom dia! Tudo bem?” Digo eu ao homem do talho ou ao motorista do autocarro ou a qualquer pessoa , não importa quem. “- Tem que estar. “ Responde o outro.” Aí eu pergunto: “tem que estar”, por quê? É difícil dizer “tudo bem, e com você?” Simples assim. Eu tenho uma tia que sempre quando eu ia sair e me despedia com um “- Tchau, tia!” ela me respondia dizendo prolongadamente a palavra: “ - Cuidaaaaaaado!” Aquilo soava tenebrosamente em minha cabeça. Era quase uma sentença de morte. Terrorismo puro. Cuidado por que? Não dava pra dizer “- Tchau! Divirta-se.” De tanto ela falar isso, eu um dia não aguentei e soltei: “ - Vem cá, não dá pra senhora parar de me agourar, não? Não dá pra dizer um divirta-se, aproveite, seja feliz?” É preciso ter bons pensamentos e atitudes positivas. Reclamar, agourar, deprimir, ter o tempo todo um comportamento “down”, é morte lenta. E sabe por que morte lenta. Porque você vai deixando de se entusiasmar, de se espantar, de se admirar. E quando isso acontece você deixa de ser feliz. É como você comentar todo contente com alguém sobre o dia lindo que está fazendo e ouvir como resposta uma “- É, mas eu ouvir no rádio que o tempo vai mudar e vai chover. “ Isso é demais pra mim. Não consigo ser pessimista. Não consigo ser assim. Ter uma expectativa positiva em relação a tido na vida só nos dá mais vida. Ser derrotista apenas nos ceifa a vida. E você? Quer viver ou morrer? Bom, aí já é uma decisão sua. Eu, aqui pra nós, prefiro viver. E se ainda não está do jeito que eu quero, vou fazer tudo para ficar.

tags:

mais sobre mim
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
24
25
26

27
28
29
30
31


favoritos
pesquisar
 
tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds